Segunda-feira, 8 de Junho de 2009

depois das eleições

 

O PS perdeu as eleições europeias, mas não foi o PSD o único vencedor. Há que reconhecer o bom trabalho de Paulo Rangel, cujo esforço já vinha sendo visível enquanto líder da bancada parlamentar social-democrata e o mérito de Manuela Ferreira Leite, que o escolheu. Mas da derrota dos socialistas, saíram muitas vitórias: a do CDS/PP, que se aguentou apesar das previsões catastróficas, a do Bloco, que conquistou o lugar de terceira força política, a da esquerda, que ultrapassou os 20% e a de todos quantos quiseram mostrar a Sócrates que não estão satisfeitos com a sua governação.
O PS tombou. É indisfarçável, mas isso está longe de significar que Manuela Ferreira Leite, ou qualquer outro líder que o PSD venha a ter, vencerá as eleições legislativas marcadas para o Outono e que, por isso, será o futuro primeiro-ministro de Portugal. Por muito protesto que os eleitores tenham despejado no boletim de voto, no passado domingo, a verdade é que não foi para isso, para escolher um chefe de governo, que foram chamados às urnas. Se no domingo, as eleições não fossem europeias e antes se tivesse pedido às pessoas para escolherem entre Sócrates e Manuela Ferreira Leite, o resultado seria seguramente muito diferente. Aliás, as sondagens para as legislativas, com toda a sua falibilidade, continuam a dar a vitória aos socialistas, ainda que com uma maioria relativa. É verdade que muita coisa pode acontecer até Outubro, que os resultados destas europeias abriram uma janela de oportunidade ao PSD e que as vitórias geram dinâmicas imprevisíveis, mas hoje ainda é inverosímil pensar que Manuela Ferreira Leite conseguirá derrotar Sócrates.
A verdade é que, se o actual primeiro-ministro tem que tirar lições dolorosas dos resultados destas eleições e trabalhar muito para tentar convencer os que votam que ainda merece continuar a governar, também Manuela Ferreira Leite tem várias tarefa pela frente, a primeira das quais especialmente árdua: mostrar a todos que acredita mesmo, mais, que quer ser primeiro-ministro de Portugal.
publicado por Sílvia de Oliveira às 17:00
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Por aqui, engordam-se por...

Não temos de que nos quei...

O Presidente não tem espí...

D. João II podia ajudar

Tudo tem um preço, até a ...

Guerra entre filhos e pai...

Não há melhores mãos que ...

Explicações em Nova Iorqu...

Se o i fosse um país...

Este sangue não é lá gran...

arquivos

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

subscrever feeds